Projeto Politico Pedagógico / PPP  – ACEIAS Educação Infantil

1. Identificação:

Setor: Pedagógico.

Área de atuação: Educação Infantil (zero a quatro anos e onze meses).

Profissionais: Nadir Miranda Racoski – Pedagoga Administrativa.

                       Adriana Faustino dos Santos – Orientadora Pedagógica/ Psicopedagoga.

                       Miriam Romeiro Flores – Secretária Pedagógica

                        Kassieli Aparecida Pereira – Supervisora Pedagógica.

                        Juliana Aparecida Somenzi – Supervisora Pedagógica.

                       Cristiane Patrícia Veber – Supervisora Pedagógica

2. Introdução:

Na LDB/96, a educação foi definida como a primeira etapa da educação básica. Assim, as instituições que se propõe a trabalhar com esse nível educacional de acordo com as diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil/2009 são considerados instituições educativas de caráter não doméstico, que tem o papel social de cuidar de crianças de zero a cinco anos e de educá-las de modo intencional.

O termo cuidar traz a ideia de preservação da vida, de atenção, de acolhimento, envolvendo uma relação afetiva e de proteção. Cumpre o papel de propiciar ao outro bem-estar, segurança, saúde e higiene.

Já o termo educar tem conotação de orientar, ensinar, possibilitar que o outro se aproprie de conhecimentos e valores que favoreçam seu crescimento pessoal a integração e a transformação do seu meio físico e social.

A concepção de cuidado/ educação adotada nos últimos anos na educação infantil se apoia no reconhecimento de que para a criança torna-se cada vez mais sujeito humano, aprendendo e desenvolvendo-se, é necessário que, no seu processo de formação a pessoa que trabalha com ela atue nas duas direções.

Isso significa dizer que, em função da extrema dependência motora afetiva e cognitiva do ser humano, nesta etapa da vida, e da sua gradativa possibilidade de autonomia, é fundamental que na Instituição de educação infantil se favoreça a apropriação de conhecimentos, valores, procedimentos e atitudes. Ao mesmo tempo deve se promover o bem-estar da criança, por meio do atendimento as suas necessidades básicas e relacionais, em um clima de afetividade. Nessa maneira, a instituição estará, contribuindo para que a criança aprenda e desenvolva inserindo-se na cultura e transformando-a, em harmonia com a natureza.

Assim entende-se que desde os primeiros meses de vida, nas ações cotidianas, quando a mãe ou a professora dá banho, troca, fraldas, alimenta, coloca para dormir, trata das dores e manhas das crianças, vai imprimindo nelas uma forma de se relacionar com o mundo e com as pessoas. Quando conversa com a criança, canta, e embala, mostra-lhes os objetos que a circundam, nomeia-os, brinca com eles, ensinando-o a brincar e possibilitando que escolha o que deseja, esta ensinando a criança uma certa maneira de ver o mundo, dando sentido e significado a tudo a que está ao seu redor. Quando organiza os ambientes e os materiais para que desenvolvam as atividades, quando respeita suas necessidades de sono, higiene, alimentação e segurança, e ensina as crianças o autocuidado com vistas as construções da autonomia, o adulto está trabalhando com aspectos da vida social, indispensáveis a inserção, cada vez maior, da criança na cultura em que vive.

A perspectiva de cuidado e educação deve estar presente na proposta pedagógica da instituição da educação infantil, permeando todas as ações de4senvolvidas.

Portanto, em nossa organização intencional de trabalho a área pedagógica busca contemplar no dia a dia dos CEIS o cuidado e a educação paralelamente dando importância para ambas as ações, tendo como objetivo o pleno desenvolvimento das crianças a nós confiadas.

3.  Dados quantitativos:

3.1. Número de Centros de Educação Infantil – 11

3.2 .Número de funcionárias por local

Local

Funcionárias

Minnie – Bello

16

Tio Patinhas – Gioppo

17 + 1 professoras de AEE

Professor Pardal – Santa Catarina

16 + 1 professora de AEE

Cinderela – Municípios

17

Pequeno Príncipe – Berger

15 + 1 professora d AEE

Pedacinho do Céu – Jung

18 + 1 professora de AEE

Educar é tudo

12

Taquara Verde

05

Pequena Sereia

10

Moranguinho

09

Branca de Neve

09

Total

146

Obs.: No quadro de funcionárias contamos com duas professoras de atendimento educacional especializado que estão organizadas para atender crianças com dificuldades em seu desenvolvimento em sala multifuncional conforme as leis que preconizam a educação inclusiva.

3.3.Capacidade de atendimento .

LOCAL CAPACIDADE
Minnie – Bello 102 alunos
Tio Patinhas – Gioppo 116 alunos
Professor Pardal – Santa Catarina 104 alunos
Cinderela – Municípios 102 alunos
Pequeno Príncipe – Berger 94 alunos
Pedacinho do Céu – Jung 116 alunos
Peter PanTaquara Verde 63 alunos
Branca de Neve Aeroporto 56 alunos
Pequena sereia Figueroa 56 alunos
Educar é Tudo Viposa 56 alunos
Moranguinho Temasa 56 alunos
Mundo Feliz – Santa Terezinha 68 alunos
Arco Íris – Mutirão 53 alunos
Pequeno Polegar – Caic 156 alunos
TOTAL 1.198


3.4 Organização das turmas:

Berçário I – 0 a 1 ano.

Berçário II – 1 a 2 anos

Maternal I – 2 a 3 anos.

Maternal II – 3 a 4 anos.

1.1 OBJETIVOS GERAIS:

Proporcionar à criança, condições de desenvolver suas potencialidades, favorecendo os processos de construção da identidade e autonomia, envolvendo aspectos físicos e psicossociais em um ambiente estimulador; que define a criança como ser competente para interagir e produzir cultura no meio em que se encontra, uma vez que é vista como um ser humano único, completo e ao mesmo tempo em crescimento e desenvolvimento.

1.2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  • Prestar auxílio nas experiências em que não puderem realizar sozinhas.

  • Proporcionar atendimento em suas necessidades físicas e psicológicas.

  • Proporcionar atenção especial por parte do adulto em momentos peculiares de sua vida.

  • Proporcionar o brincar.

  • Executar movimentos amplos e ao ar livre.

  • Ampliar permanentemente conhecimentos a respeito do mundo, da natureza e da cultura, apoiadas por estratégias pedagógicas apropriadas.

  • Diversificar experiências, espaços e materiais visando seu pleno desenvolvimento.

  • Buscar a garantia de seus direitos a: dignidade e respeito; autonomia e participação; felicidade prazer e alegria; individualidade; ao tempo livre e ao convívio social, a diferença e a semelhança; a igualdade de oportunidades; ao conhecimento e a educação; ao espaço-tempo e materiais específicos; a profissional com formação específica.

  • Proporcionar condições para que a mãe desenvolva atividades remuneradas, através do atendimento em tempo integral.

  • Levar a criança ao desenvolvimento das discriminações: visuais, auditiva, olfativa, gustativa e tátil.

  • Explorar o espaço ambiental, para que se sinta familiarizada com o Centro de Educação Infantil (C.E.I.).

  • Familiarizar-se com o material escolar e sua manipulação.

  • Desenvolver o pensamento e a imaginação.

  • Desenvolver as habilidades de observação e expressão.

  • Desenvolver hábitos de higiene.

  • Reconhecer seu corpo como um todo.

  • Desenvolver o canto como expressão individual e de grupo.

  • Adquirir noções de tamanho e lugar.

  • Desenvolver habilidades de bem ouvir com atenção e interesse.

  • Desenvolver habilidades específicas para as fases posteriores.

  • Desenvolver criatividade como elemento de autoexpressão.

  • Adquirir atitude e habilidade necessária para a aprendizagem da leitura, escrita e cálculo, nos anos escolares que virão.

  • Desenvolver o senso de responsabilidade.

  • Ser capaz de reconhecer seus direitos, bem como seus deveres, respeitando as diferenças dos outros.

  • Aprimorar seus movimentos e sua coordenação.

  • Discriminar estímulos: visuais, táteis, gustativas, olfativas e auditivas.

  • Adquirir noções de espaço e tempo.

  • Executar experiências que ajudem a definir sua lateralidade.

  • Reconhecer os atributos dos objetos que manipula.

  • Relacionar objetos por suas semelhanças e diferenças.

  • Aprimorar sua capacidade de expressão plástica, musical, verbal e corporal.

  • Perceber a relação entre palavra falada e escrita, sem que seja necessário iniciar-se a alfabetização propriamente dita.

  • Desenvolver experiências que estimulem a noção de símbolo numérico e sua quantidade.

2. CONCEPÇÃO DE CRIANÇA

A criança como todo ser humano é um sujeito social e histórico e faz parte de uma organização familiar que está inserida em uma sociedade, com uma determinada cultura, em um determinado momento histórico. A criança tem na família biológica ou não, um ponto de referência fundamental, apesar da multiplicidade de interações sociais que estabelece com outras instituições sociais.

As crianças possuem uma natureza singular, que caracteriza como seres que sentem e pensam o mundo de um jeito muito próprio. Nas interações que estabelece desde cedo com as pessoas que lhe são próximas e com o meio que as circunda, as crianças revelam seu esforço para compreender o mundo em que vivem as relações contraditórias que presenciam e, por meio de brincadeiras, explicitam as condições de vida a qual estão submetidas e seus anseios e desejos. No processo de construção do conhecimento, as crianças se utilizam das mais diferentes linguagens e exercem a capacidade que possuem de terem ideias e hipóteses originais sobre aquilo que buscam desvendar. Nessa perspectiva as crianças constroem o conhecimento a partir das interações que estabelece com as outras pessoas e com o meio em que vive.

Em síntese é imprescindível levar em conta que as crianças desde que nascem são:

  • Cidadãos de direito;

  • Indivíduos únicos, singulares;

  • Seres sociais e históricos;

  • Seres competentes, produtores de cultura;

  • Indivíduos humanos, parte da natureza;

3. DESENVOLVIMENTO INFANTIL

A noção de estagio é de certo modo, artificial e surge instrumento de análise, indispensável para a aplicação dos processos e das características que vão se formando ao longo do desenvolvimento da criança.

A criança à medida que evolui vai se ajustando à realidade circundante, e separando de modo cada vez mais eficaz, as múltiplas situações em que confronta. Se uma criança de três anos resolve determinado problema, suscitado pelo meio, que não conseguia aos dois anos, é porque possui a partir de agora uma determinada estrutura mental diferente da anterior e, de certo modo, superior, porque lhe permite resolver novos problemas e ajustar-se a situação.

Cada estágio é definido por diferentes formas do pensamento. A criança deve atravessar cada estagio segundo uma sequência regular, ou seja, os estágios de desenvolvimento cognitivo são sequenciais. Se a criança não for estimulada, motivada na devida forma terá dificuldades para superar o atraso do seu desenvolvimento. Assim, torna-se necessário que em cada estagio a criança possa experimentar e tenha tempo suficiente para interiorizar a experiência antes de prosseguir para o estagio seguinte.

O educador deverá sempre ter o bom senso de observar todas as condutas e atitudes da criança, sem fragmentações e sem classificações precipitadas. O educador não deve preocupar-se se a criança não apresentar a reação descrita na idade exata estimada. O ritmo de desenvolvimento varia de pessoa para pessoa; esses indicadores servem apenas como guia orientador, possibilitando uma rápida visualização do desenvolvimento infantil em diferentes áreas.

Nosso trabalho abrange os estágios sensórios motor e pré-operatório onde através das avaliações constata-se que as crianças:

ATÉ TRÊS MESES:Levam às mãos à boca, suga os dedos; Abre e fecha as mãos

  • Tenta levantar a cabeça e o peito, enquanto suporta o próprio peso nos cotovelos…

DE QUATRO A SETE MESES: Deitada é capaz de rolar de um lado para outro.

  • Mantém o equilíbrio se for colocada sentada; Apanha um objeto, transfere-o de uma mão para outra e coloca-o na boca; Observa seus próprios movimentos; Sorri para sua imagem no espelho; Leva o pé a boca…

DE OITO MESES A UM ANO: Começa a engatinhar; Fica em pé apoiando-se em móveis ou com a ajuda de uma pessoa; Usa polegar e indicadores para segurar objetos; Rola; Bate objetos contra objeto; Vira página grossa; Remove tampas de caixas simples; Movimenta-se com independência e volta á posição anterior…

DE UM A DOIS ANOS: Anda sozinha; Aponta pessoas e objetos usando o indicador; Rabisca com lápis de cera; Com um ano e meio começa a correr chutar bola, subir em móveis; Tenta pentear os cabelos; Mostra seus olhos e nariz; Arrasta brinquedos; Empilha até três objetos…

DE DOIS A TRÊS ANOS: Adora dançar.; Está apto a começar o treino da higiene, abandonando o uso das fraldas; Ajuda a guardar seus brinquedos; Inicia o recorte com a tesoura; Salta com os dois pés; Coloca o calçado; Imita fazer pontes e torres…

DE TRÊS A TRÊS ANOS E ONZE MESES:Veste e tira a roupa sem a ajuda de adulto; Pedala um triciclo; Segura lápis ou caneta na posição correta; Já consegue desenhar figuras reconhecíveis; Realiza tarefas simples; Anda na ponta dos pés; Corre, anda e salta

4. CONCEPÇÃO DE APRENDIZAGEM

A criança é um ser social que nasce com capacidades afetivas, emocionais e cognitivas. Tem desejo de estar próximo às pessoas e é capaz de interagir e aprender com elas de forma que possa compreender e influenciar seu ambiente. Ampliando suas relações sociais, interações e formas de comunicação, as crianças sentem-se cada vez mais seguras para se expressar podendo aprender nas trocas sociais, com diferentes crianças e adultos cujas percepções e compreensões da realidade também são diversas.

A aprendizagem caracteriza-se como a apropriação e a produção da cultura, dos modos de vida, das concepções, dos conhecimentos elaborados e sistematizados permeados pelas emoções, partilhadas significativamente com os diferentes grupos e sujeitos que compõe o contexto mais próximo à criança, de modo que, na relação com a realidade social mais ampla, possibilitam a ela elaborar seus sentimentos e significados sociais para compreender o mundo, agir sobre ele, transformá-lo e ser transformado.

Os assuntos trabalhados devem ter relações específicas com os níveis de desenvolvimento das crianças em cada grupo e faixa etária e, também, respeitar e propiciar amplitude das mais diversas experiências em relação aos eixos de trabalho propostos.

O processo que permite a construção de aprendizagens significativas pelas crianças pode estabelecer relações entre os conteúdos norteadores e os conhecimentos prévios, ampliá-los ou diferenciá-los em função de novas informações, capacitando-as a realizar novas aprendizagens, tornando-as significativas.

O professor deve considerar como ponto de partida para a sua ação educativa, os conhecimentos que as crianças possuem.

Durante o ano letivo trabalhamos com projetos bimestrais, onde são organizadas reuniões para que cada professora participe e construa seu projeto para a execução do mesmo em sala de aula.

Observação: Dados abaixo foram retirados dos PPP. Projeto Politico Pedagógico, estando todos eles revisados.

ÁREAS DE ABRANGÊNCIA E CONTEÚDOS – ZERO A TRÊS ANOS E ONZE MESES – BERÇÁRIO I E II, MATERNAL I E II

5.3.1. SOCIOCULTURAL

O homem nasce e vive em uma sociedade. O ambiente humano em que ele nasce lhe garante a subsistência.

É esse ambiente, humano, o responsável pelo desenvolvimento, nos indivíduos, através da aprendizagem de padrões e valores, sentimentos, modos de expressão. A essa internalização de modos e do comportamento, que se dá através da associação e interação, colocando o novo ser em contato com as características humanas, acima mencionadas denominadas socialização.

As mudanças sociais e o fato de os indivíduos não serem nunca perfeitamente socializados nos remete à necessidade de socialização permanente, e não só limitada aos anos iniciais da vida.

Analisando o aspecto de formação, nota-se que é a família a instituição social que inicialmente realiza a socialização. Nas sociedades mais complexas surge a escola como Instituição também responsável pelo desenvolvimento social das crianças. Ela se responsabiliza formalmente pela educação, sem, contudo retirar da família suas atribuições quanto à formação das gerações jovens.

Cabe à escola dar preparo sistemático aos indivíduos envolvendo a apresentação de experiências sistematizadas e programadas tendo condições de atingir as crianças de modo eficaz.

Através da interação do adulto e crianças e das crianças entre si ocorre à socialização. O professor, mais diretamente ligado aos alunos, estabelecendo com eles o maior número de interações, é elemento fundamental de socialização.

É importante que o professor esteja consciente de seu papel educativo, não se ocupando exclusivamente do ajustamento rígido das crianças aos padrões sociais. O fato das carências culturais, comuns em nosso meio ambiente acarretar pobreza da vivência de situações sociais, aumenta à importância da Educação Infantil como agente socializador, dada a necessidade de suprir às falhas de atuação, as vezes, ineficiente, da família.

Todas as pessoas que participam da vida da escola e realizam contatos com as crianças são importantes no processo da socialização, uma vez que todas as interações levam á formação do ser social. Daí a necessidade de uma atuação coerente e integrada da equipe escolar.

5.3.1 CONTEÚDOS

  • Padrões de comportamento para viver em sociedade; Comportamento para atuar em grupo;

  • Linguagem como meio de comunicação e interação social; Diferentes ambientes: casa, escola…Família; Comunidade; Relações sociais; Exploração de elementos, fenômenos naturais e físicos; Datas comemorativas; Higiene, saúde e bem-estar;Autoestima e autoconhecimento; Manifestações de sentimentos; Confiança e respeito;

5.3.2. PSICOLÓGICO/ COGNITIVO

O homem conhece o mundo exterior onde se encontra.

Piaget explica a capacidade de conhecer, como sendo a capacidade que o individuo tem de estabelecer relações. Esta capacidade se da graça ao conjunto de estruturas mentais específicas para o ato de conhecer. O homem conhece o mundo exterior através de estruturas mentais.

Estas estruturas mentais não são inatas. Ao nascer, o individuo tem somente a possibilidade de construí-las, e essa construção está em dependência direta das solicitações e estimulações do meio que o cerca.

Segundo Piaget, para conhecer um objeto é preciso agir sobre ele. Conhecer seria modificar. “Transformar o objeto, compreender o processo de sua transformação, e não apenas possuir uma cópia mental, uma imagem do objeto”.

Esta ação do individuo consiste num movimento contínuo de reajustamento ou equilibração, uma vez que a cada momento a ação é desequilibrada por transformações exteriores e interiores a ela.

Piaget caracteriza o desenvolvimento cognitivo em quatro etapas, que obedecem a uma sequência sendo as aquisições de cada uma delas subestruturas para a aquisição da etapa seguinte. Assim, o desenvolvimento é progressivo e evolutivo.

A ordem das etapas é constante. Ex.: Para uma criança de 05 meses, aproximadamente, ter a intenção de pegar um objeto, é necessário que ela tenha desenvolvido antes a preensão de colocar o objeto em sua mão (coordenação viso motora).

Na transição de uma etapa anterior a outra posterior, as estruturas se integram tornando-se uma parte da outra. Sendo que na Educação Infantil e abrangendo a idade de zero a três anos e onze meses a qual atendemos, nossas experiências se remetem as duas primeiras fases.

Assim, ficam determinadas as seguintes etapas:

5.3.2.1. Primeira etapa: 0 a 2 anos

As operações sensórias motoras dividem-se em seis subetapas:

0 a 1 mêsreflexiva: caracteriza-se pelos exercícios reflexos inatos, respondendo aos estímulos ambientais que se recebe: reflexo a luz, som, sucção, agarrar.

1 a 4 mesesreações circulares primárias: a conduta é reflexa e torna-se organizada. Ex.; os olhos seguem o movimento das mãos. O interesse está só no movimento e não na produção dos efeitos. Se por casualidade for realizada uma ação interessante, ela será repetida.

4 a 9 mesesreação circular secundaria: repete condutas acidentais para produzir um efeito. Isto é, as condutas são repetidas intencionalmente (sacudir o chocalho, arranhar a mesa). O meio conduz o fim. Ex.; sacode o chocalho, faz som, sacode o chocalho, faz som.

9 a 12 mesescoordenação de esquemas secundários: as ações são claramente intencionais, como por exemplo, brincar de esconde – esconde. A criança já tem consciência plena que o meio está diferenciado do fim. É a fase da imitação dos movimentos.

1 ano a 1 ano e meio. Reações circulares terciárias: descoberta de novos meios para alcançar o desejado. Essa descoberta coincide com o andar. Ex.: a criança pega a almofada com a intenção de pegar o que está em cima.

1 ano e meio a 2 anosinvenção de novos meios: através de combinações mentais, a criança inventa novos meios de obter o que deseja. Ex.: usa a vareta para pegar um objeto, tenta tirar palitos de fósforo da caixa fechada.

Sintetizando: nesta etapa (sensório-motora – 0 a 2 anos), através da percepção e dos movimentos, a criança conquista o universo que a cerca. Ela é o centro desse universo que vai se constituindo objetivamente, como algo exterior, na medida em que emerge o pensamento propriamente dito e a linguagem, por volta de 2 anos.

Espera-se que, com o emprego de uma proposta pedagógica coerente um número maior de crianças tenha uma evolução mais sadia e equilibrada, diminuindo também a frequência e a intensidade de algum distúrbio.

Um trabalho estimulante com a criança exerce influência decisiva na sua evolução. Um ambiente rico e variado em estímulos, aliado a experiências específicas, acelera o desenvolvimento da criança.

Apesar das diferenças existentes entre as crianças da mesma idade cronológica, existem algumas diretrizes gerais, que orientam o desenvolvimento. È importante saber que:

  • O desenvolvimento infantil depende da maturação e estimulação nos primeiros anos de vida;

  • Toda criança esta apta a assimilar estímulos, de forma gradual e respeitando as etapas do desenvolvimento;

  • Todas as experiências devem partir do conhecido para o desconhecido, do próximo para o distante e do concreto para o abstrato;

  • As experiências representam um jogo com o objetivo de obter atenção e participação da criança;

  • Devem conter conteúdos de novidade, variedade e trocas, para manter a atenção da criança no período de experiências;

  • É necessário evitar a sobrecarga de estímulos sobre a criança para que não se crie uma barreira que a conduza ao desinteresse;

  • Os materiais e as experiências devem ser levados em conta se a criança é capaz de controlá-los e se permanece ativa e interessada.

5.3.2.2 ÁREAS DE ABRANGÊNCIA.

Área sensória perceptiva: é a capacidade neurovegetativa e vivencial no processo do desenvolvimento do ser humano, permitindo-lhe manter-se em interação constante com o meio.

Área visual: tem como objetivo promover o desenvolvimento da percepção visual, fazendo com que a visão seja instrumento de enriquecimento de experiências sensoriais em todos os campos.

Área auditiva: visa favorecer o desenvolvimento da identificação, localização, discriminação e seleção de sons necessários para a compreensão do ambiente em que se desenvolve. A estimulação auditiva amplia o campo dos sons, da música, da comunicação humana e da criatividade.

Área tátil: visa proporcionar oportunidades que enriqueçam as sensações da criança em termos de calor, frio, dor, consciência, textura, espessura e resistência de materiais.

Área gustativa e olfativa: visa favorecer ao máximo o desenvolvimento de suas faculdades gustativas como meio de conhecimento e relação com o ambiente. As substâncias alimentícias atuam sobre as papilas gustativas, provocando também sensações olfativas associadas por estarem intimamente ligadas.

Área motora: visa habilitar a criança na aquisição de posturas adequadas a diferentes posições e movimentos, desenvolvendo o equilíbrio, a locomoção, além da percepção integral da imagem corporal. Inclui também a coordenação motora fina e controle das partes e funções essenciais:

Motora ampla: favorece a criança no desenvolvimento motor e bom equilíbrio do corpo: rolar, engatinhar, pular com os dois pés, andar, etc

Motora fina: favorece a criança na coordenação viso motor: conhecer as mãos, pegar objetos, brincar com eles, amassar, rasgar papel, rabiscar, pintar, etc.

Área cognitiva: envolve a coordenação sensório-motora no acompanhamento das variações e permanências dos estímulos. É responsável pelo desenvolvimento da intelectualidade, atenção, observação, imitação de movimentos, gestos, linguagem, etc.…, facilitando a exploração e resolução dos problemas cotidianos simples que lhe apresentam.

Área adaptativa social: favorece os meios que auxiliam a adaptação e a socialização no ambiente em que a criança se desenvolve, oferecendo oportunidades de participar em atividades com seus familiares e outros. Ainda proporciona a criança condição de promover a independência na prática de hábitos de higiene pessoal, favorecendo a interação em seu meio social.

       

5.3.2. 3. Segunda etapa: 2 a 7 anos.

2 aos 3 anos e 11 meses: pré-operatório: conduta observada, realiza expressões verbais, a fala é repetitiva, utiliza monólogos, dá um significante (palavra) que serve de símbolos para o significado (objeto);

È egocêntrica, centrada em si mesma e não consegue se colocar no lugar do outro, não aceita a ideia do acaso e tudo deve ter uma explicação (fase dos porquês), já pode agir por simulação, possui percepção global sem descriminar detalhes, deixa de levar pela aparência sem relacionar os fatos.

5.3.3 CONTEÚDOS:

5.3.3.1 Linguagem: Conscientização corporal; Percepção visual, auditiva, tátil; Percepção temporal; Orientação espacial; Ampliação do vocabulário; Ampliação e organização frasal; Organização de ideias; Organização de sequências lógicas; Interpretação de mensagens; Transmissão de mensagens; Execução de ações.

5.3.3.2 Perceptivo motor:

  • Esquema corporal; Conscientização corporal como um todo e segmentares.

  • Controle de movimentos globais e segmentares; Imobilidade e movimento.

  • Contração e relaxamento; Equilíbrio dinâmico e estático; Expressão corporal livre e harmônica; Orientação espacial tendo como ponto de referência seu próprio corpo: relação entre seu corpo e objetos, entre seu corpo e outras pessoas, entre seu corpo e outros seres vivos, relação entre objetos e objetos; Organização temporal: organização de estímulos em sequência lógica de tempo e duração, ritmo, movimentos rítmicos, expressão rítmica; Coordenação viso manual; Coordenação motora fina e ampla; Discriminação auditiva, visual, tátil, gustativa e olfativa; Atenção e concentração.

5.3.3.3 Raciocínio lógico-matemático.

  • Observação e manipulação de objetos como forma de estabelecer critérios; Classificação a partir de: critério pessoal e estabelecido pelo professor; Reconhecer faces de um objeto manipulado e explorado; Identificar e nomear figuras geométricas planas (quadrado triângulo, retângulo e circulo); Ordenar obedecendo a um critério estabelecido: do mais alto para o mais baixo, do mais fino para o mais grosso, etc.; Verbalizar uma série, dado, a partir de um ponto de referência: o primeiro, o último, o que vem antes e o que vem depois; Ordenar fatos, figuras e objetos numa sequência temporal; Noções básicas de dentro, fora, acima, abaixo, longe, perto, grosso, fino, atrás, à frente, ao lado, muito, pouco,; Cor primaria e secundaria; Formação de conjuntos

5.3.4. BIOLÓGICO.

Há uma estreita relação entre crescimento e desenvolvimento.

O crescimento e o desenvolvimento não se realizam independentemente, mas representam uma continuidade de interação entre o potencial genético e o meio ambiente. O crescimento e o desenvolvimento são influenciados por fatores intrínsecos (características herdadas, fatores hormonais), e extrínsecos (fatores nutritivos, sociais, emocionais, culturais).

Como o desenvolvimento harmônico e regular depende de fatores orgânicos e também do ambiente, a Educação Infantil, nesse sentido, deverá com uma programação adequada, favorecer esse desenvolvimento, contribuindo para a formação de hábitos que garantam a manutenção de saúde e o ritmo de crescimento.

Para o aperfeiçoamento do potencial físico e seu aproveitamento máximo, a educação infantil deverá contribuir através de experiências que promovam o desenvolvimento de capacidades físicas e psicomotoras.

Em resumo, higiene, nutrição e saúde constituem sub aspectos, do aspecto biológico que, redigidos na forma de objetivos e trabalhados por meios de experiências na Educação Infantil, asseguram o desenvolvimento integral.

5.3.4.1 CONTEÚDOS: Manutenção da saúde; Higiene alimentar; Higiene corporal e do vestuário;

SISTEMA DE PLANEJAMENTO DO PROJETO.

  • Bimestral

#Tema:

#Subtema:

# Justificativa

# Data de desenvolvimento

# Aspecto biológico: Objetivos específicos e experiências.

# Aspecto cognitivo/Psicológico: Objetivos específicos e experiências.

# Aspecto sociocultural: Objetivos específicos e experiências.

#Avaliação do projeto.

CRONOGRAMA DE TEMAS PARA PLANEJAMENTO DE BERÇÁRIO I A MATERNAL II

Primeiro Bimestre:

Fevereiro e Março: Período de adaptação.

Abril a Julho:

Tema: Eu e Minha Historia.

Subtemas: Eu meu corpo e minhas necessidades;  Eu, as pessoas e minha forma de viver. 

Segundo Bimestre:

Agosto á Dezembro:

Tema: Eu e o Mundo

          Subtemas: Eu, a natureza e os animais;  Eu me locomovo e me comunico; A infância ontem e hoje. Natal, brincando e viajando pelo tempo.

7.1. ORGANIZAÇÃO DOS SUBTEMAS

Fevereiro/ Março : Período de Adaptação.

TEMA : Abril / Julho: EU E MINHA HISTÓRIA

  • Subtema  Abril/ Maio:  EU MEU CORPO E MINHAS NECESSIDADES.

Conteúdos abordados: Como eu sou: características físicas; diferenças e semelhanças; Partes do corpo; Os sentidos: audição; tato; visão; olfato; paladar; Cuidados com a saúde: higiene corporal; dentes; alimentação; postura; voz; tempo de sono e repouso; ações e lugares de perigo; Meu nome e sobrenome; Meus documentos; Meus dados pessoais: idade; peso e altura; Fases da vida: infância; adolescência; fase adulta e velhice; Meus direitos e deveres; Minhas preferências, meus medos e desejos; Autoimagem; autoestima; Pessoas com necessidades especiais; Inclusão; amor e respeito; Regras de convívio social; Qualidade de vida; Preconceitos;

  • Subtema: Junho/ Julho: EU E AS PESSOAS, MINHA FORMA DE VIVER.

Conteúdos abordados: Pessoas que fazem parte da família; Famílias diferentes; Minha família: formas de lazer; profissões; respeito; origem; costumes e crenças; Lugar onde eu moro: tipos de moradia; as dependências de uma casa; materiais usados para construção; as transformações dos tipos de moradia através dos tempos; Meu bairro: localização; pontos de referência; história de seu nome, meus vizinhos; minha rua (características, nome), percurso casa x escola e escola x casa; Minha cidade: nome; história; como ela é; onde fica; pontos turísticos; nossa cultura (costumes, crenças, arte, música); Minha escola: Nome; história; espaço físico; cuidados; paisagem ao redor; profissionais, regras de convívio escolar; meus colegas;

Tema: Agosto á Dezembro: EU E O MUNDO

  • Subtema: Agosto e Setembro: EU A NATUREZA E OS ANIMAIS.

Conteúdos abordados: Flora: como nascem; como respiram; como se alimentam; cultivo de plantas; sua importância; plantas venosas e medicinais; paisagem natural e modificada; tipos de vegetação; preservação; ação do homem e suas consequências; Fauna: classificação; características, habitat; alimentação; animais de estimação e extinção; animais selvagens e domésticos; animais e seus filhotes; cuidados com os animais; revestimento; animais pré-históricos, aves; insetos; bichos de jardim; Elementos naturais e essências á vida: água; ar; luz; solo; Estações do ano; Lixo: orgânicos; plásticos; papel; vidro; metal; reciclagem; Flores: cultivo; espécies; Seres vivos e não vivos; Elementos que compõe a natureza; Dia e noite; Vida na cidade e no campo; Paisagens modificadas; Fenômenos da natureza: ventos; chuva; calor; frio; seca; arco-íris;

  • Subtema: Outubro e Novembro: EU ME LOCOMOVO E ME COMUNICO

Conteúdos abordados: Transporte aéreo; terrestre; aquático; Transportes coletivos (respeito, cuidados); Transformação no decorrer dos tempos; Sinais de trânsito; Benefícios; ação diante a natureza; Profissões (motoristas, guardas de trânsito, mecânicos, borracheiros, etc.); Conscientização e prevenção de acidentes; Tipos de meios de comunicação; Seus benefícios e cuidados mediante as tecnologias; Avanços tecnológicos dos meios de comunicação; Tipos de comunicação: falada; escrita, visual e de sinais (libras); Historia da comunicação; Profissionais (locutores, carteiros, telefonistas, escritores);

  • Subtema: Dezembro : A INFÂNCIA ONTEM E HOJE / NATAL BRINCANDO E VIAJANDO PELO TEMPO

Conteúdos abordados: Resgate de brincadeiras antigas; Historias e canções folclóricas e atuais; O faz de conta na infância; O jogo como forma de diversão e expressão; Trabalho infantil; Símbolos natalinos: significado e origem de cada um; Trabalhos manuais e decorativos; Religiosidade da data x consumismo; Confraternização e a vida em família; Cantigas de roda; Construção de brinquedos antigos; Pesquisa de brinquedos e brincadeiras da época antiga; Socialização; Exposição de materiais; Vivência em grupo; Os brinquedos ontem e hoje; Meu brinquedo favorito.

NOSSOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÃO DISTRIBUÍDOS NOS BAIRROS  DE CIDADE, E UM NO DISTRITO DE TAQUARA VERDE.

  1. CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL CINDERELA.

Código da Escola: 42107598

Localização: Rua Jordão Granemam s/n – Bairro Municípios.

Área territorial: 1.260.00 m2

Área construída de 310.03 m2.

Capacidade de atendimento: 102crianças

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência  familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

2 – CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAR É TUDO.

Código da Escola: 42146097

Localização: Rua Hugo Torres Cruz – Bairro Berger

Área territorial: 1.200m2 aprox.

AREA CONSTRUIDA 180 m2 aprox.

Capacidade de atendimento: 94 crianças

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência  familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

3 – CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL MINNIE.

Código da escola: 42105323.

Localização: Odelir Godinho s/n – Bairro Bello.

Área Territorial: 2.013.m2

Área construída: 296 m2

Capacidade de atendimento: 102 crianças

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência  familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

4 –  CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DILETA BOLSONI TESSER (MORANGUINHO)

Código da Escola: 42151716

Localização: Rua Adolfo Kletke, 151. Bairro Martello.

Área territorial: 167,36m2

Área construída: 50 m2 aprox.

Capacidade de atendimento: 56 crianças

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência  familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

5- CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PEDACINHO DO CÉU / ONEIDE OLSEN

Código da Escola: 42112931

Localização: Rua Onofre Pereira 315 – Bairro Jung

Área Territorial: 1.260.00m2

Área construída 383.80m2

Capacidade de atendimento: 116 crianças.

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência  familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem

6  –  CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PEQUENA SEREIA

Código da Escola: 42107598 (EXTENSÃO C.E.I. CINDERELA)

Localização: Rua Izidoro Belotto, 761. Bairro Figueroa

Área territorial: 680 m2 aprox.

Área construída: 309 m2

Capacidade de atendimento: 56 crianças.

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

7 –  CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PEQUENO PRÍNCIPE.

Código da Escola: 42071402

Localização: Rua Marcos G. Cordeiro s/n – Bairro Berger.

Área Territorial: 114.866.91m2

Área construída 260.38 m2.

Capacidade de atendimento: 94 crianças.

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

8 – CENTRO DE EDUCAÇÃO PETER PAN (TAQUARA VERDE)

Código da Escola: 42146062

Localização: Rua Joaquim Lemos Correa em frente ao n º19

Área Territorial: 800 m2

Área construída: 130 m2

Capacidade de atendimento: 63 crianças.

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA

Nesse espaço atendem-se crianças de dois a cinco anos de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

9- CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSOR PARDAL.

Código da Escola: 42071429

Localização: Rua Arthur Trevisan s/n – Bairro Santa Catarina

Área territorial: 1.820.00 m2

Área construída de 344.30m2.

Capacidade de atendimento: 104 crianças

CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência  familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

10 – Centro de Educação Infantil Tio Patinhas.

Código da Escola: 42071453

Localização: Rua Julia Gioppo Carneiro 103 – Bairro Gioppo.

Área territorial: 134.503.08 m2

Área construída de 299.36 m2.

Capacidade de atendimento: 116 crianças

CARACTERÍSTICA DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família     

Desta forma buscamos desenvolver um trabalho integral onde cada criança e sua família seja respeitada em suas particularidades. Estabelecendo assim uma relação positiva entre família X escola onde juntas poderão auxiliar a criança a entender o mundo que a cerca, valorizando a todos, tornando-a cidadão de bem.

11.CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL BRANCA DE NEVE

Nome: Centro de Educação Infantil Branca de Neve

Código da Escola:

Localização: Rua Araucária, s/n Bairro Industrial

Área territorial: 220 M 2  aproximadamente

Capacidade de atendimento: 56 crianças de zero a três anos e onze meses.

CARACTERÍSTICA DA POPULAÇÃO ATENDIDA.

Nesse espaço atendem-se crianças de zero a três anos e onze meses de idade, pertencentes a famílias de trabalhadores. Os pais e responsáveis, na maioria trabalham em fábricas, comércio, educação e residências. Onde se constata uma melhoria significativa na valorização, qualificação, piso salarial e padrão de vida.

São crianças que na sua maioria possuem como referência  familiar, a mãe e o pai e quando não os avós, tios e padrinhos, não fugindo da realidade vivenciada pela maioria das crianças em nosso País. Independente da composição familiar a qual a criança pertence, estes responsáveis são incentivados a participarem ativamente da vida escolar através de reuniões, datas comemorativas, contribuições e demais eventos quando se faz necessário.

Porém é visível que a ausência da figura materna durante o dia muitas vezes é compensada com amor e dedicação aos filhos, haja vista é possível observar que há casos de superproteção, bem como a negligência para com os mesmos, denotando a situação vivenciada por diversas famílias caracterizando a desestrutura e a modificação na escala de valores presente, bem como a mudança no modelo tradicional de família